Enfim acabou o mistério: os nomes que vão representar a seleção brasileira na Copa do Mundo de 2018 foram oficialmente anunciados na tarde desta segunda-feira (14) pelo técnico Tite.

Mas enquanto o dia 14 de junho não chega para dar a largada da competição na Rússia, resolvemos escalar nossa própria seleção – reunindo os onze melhores atletas do mundo dos games, com nomes de jogos clássicos, títulos recentes e até de games que não tem nada a ver com futebol.

O que achou de nossa convocação? Deixe eu comentário abaixo.

01. Alex Hunter (FIFA 17/ FIFA 18)

Protagonista do modo jornada da série FIFA desde a edição 2017 do jogo, Alex Hunter seria um dos atacantes perfeitos para nossa seleção.

Com sua experiência da Premier League, o atleta cresceu consideravelmente desde sua estreia na franquia e, em FIFA 18, tem a possibilidade de subir para a elite do futebol europeu e jogar em equipes como Liverpool, Real Madrid e Paris Saint-Germain  onde pode atuar lado a lado com Neymar Jr, inclusive.

É desse tipo de experiência que precisamos em campo. Convocado.

Reprodução

02. Allejo (International Superstar Soccer)

Um dos melhores jogadores da seleção brasileira que nunca existiu, Allejo é resultado da Konami não ter o licenciamento da FIFA para representar jogadores reais no game de 1994.

Por conta disso, as equipes estavam recheadas de jogadores imaginários, como Cícero, Gomez e Paco. Allejo, no entanto, se destacava.

Vale lembrar também que, originalmente, o centroavante ficcional foi inspirado em Bebeto, craque que esteve na seleção brasileira campeã de 1994. Para nós, isso significa que o camisa 7 virtual está mais que gabaritado para a equipe.

Reprodução

03. Oliver Tsubasa (Super Campeões)

Anime que marcou a infância e adolescência de apaixonados por futebol na saudosa TV Manchete, Super Campeões tinha como protagonista o grande Oliver Tsubasa, meio campista dono do potente Chute de Trivela.

A série adaptada dos mangás fez tanto sucesso que logo foi levada também para os videogames. O primeiro deles, lançado em 1988 para o NES, chegou ao ocidente como Tecmo Cup Soccer Game.

A popularidade da franquia continua até hoje e, no ano passado, resultou no lançamento de Captain Tsubasa: Dream Team para iOS e Android, o que faz de Oliver uma ótima adição à nossa seleção.

Reprodução

04. Carros (Rocket League)

Quem disse que a nossa seleção só poderia ser formada por pessoas?

Rocket League é um dos títulos competitivos mais populares da atualidade e seus carros com propulsão jogam futebol melhor do que muito perna de pau por aí.

O game da Psyonix também continua sendo constantemente atualizado e tem até campeonatos oficiais de eSports, como a Rocket League Championship Series.

Na nossa opinião, estes veículos estão mais que prontos para um torneio competitivo como a Copa do Mundo.

Divulgação/Psyonix

05. Tó Madeira (Championship Manager: Season 01/02)

Um dos atletas preferidos de treinadores do game de simulação Championship Manager 01/02, Tó Madeira tinha chutes que eram sinônimo de gol.

Como conta a publicação portuguesa Público, o personagem foi, na verdade, resultado de um erro na coleta de dados que criou o catálogo de atletas disponíveis no game, que exagerou nas informações sobre a habilidade de um jogador do pequeno time Gouveia.

Barato para ser contratado e extremamente habilidoso, Tó Madeira foi removido do jogo após uma atualização, mas não sem garantir antes sua escalação na nossa seleção.

06. Roberto Miura (Goleiro/Rival Schools)

É verdade que Roberto Miura estrela jogos do gênero de luta, não esportivo, mas isso não significa que ele não tenha habilidade com a bola nos pés.

Segundo a história oficial do personagem da série Rival Schools, da Capcom, Miura é entusiasta do futebol, membro do time da Gorin High e tem até ascendência brasileira.

Com seus combos aéreos e golpes envolvendo uma bola de futebol, o personagem seria um baita goleiro para a equipe. Convocado.

Reprodução/Rival Schools

07. Lúcio (Overwatch)

Outro brasileiro que não está necessariamente em um jogo esportivo, mas que provou sua habilidade futebolística, é Lúcio, de Overwatch.

Afinal, o DJ é o protagonista do Lucioball, modo de jogo lançado em Overwatch durante o evento especial dos Jogos de Verão que simulava partidas de futebol acrobáticas.

Como um dos suportes do jogo, Lúcio certamente iria esculachar na defesa do nosso time. Já está dentro.

Reprodução/Overwatch

08. Matsukaze Tenma (Inazuma Eleven GO)

Protagonista do anime Inazuma Eleven GO, o meiocampista Matsukaze Tenma é outro personagem que chegou aos consoles após uma adaptação de sua série para os games, com um título homônimo lançado para o Nintendo 3DS pela Level-5 em 2011.

Vale destacar que Inazuma Eleven GO é um jogo esportivo com elementos de RPG tático, o que faz de Tenma um jogador com ótimo posicionamento estratégico no campo – e particularmente bom nos dribles. Também convocado.

Reprodução

09. Castolo (Winning Eleven/PES)

Mais um grande nome da lista de jogadores genéricos dos games, Castolo era um dos atletas da equipe padrão da Master League da série Winning Eleven/Pro Evolution Soccer.

O brasileiro teve múltiplas aparições em jogos da franquia e ficou conhecido por ser consideravelmente mais ágil que outros jogadores padrão.

Por sua longevidade na série e experiência, o atacante Castolo tem uma vaga garantida na nossa seleção.

Reprodução

10. Janco Tianno (FIFA 94)

Outra invenção resultante de um jogo que não tinha licenças para nomes de times e jogadores, Janco Tianno foi para FIFA International Soccer como Allejo era em International Superstar Soccer.

Na nossa seleção, o jogador brasileiro poderia ainda utilizar duas clássicas estratégias de FIFA 94 para ajudar na vitória: primeiro, ficar parado na frente do goleiro durante a reposição de bola para roubá-la automaticamente; e fugir eternamente do juiz para nunca levar cartão.

Reprodução

11. Tidus (Final Fantasy X)

Ok, fomos obrigados a roubar um pouco nesse aqui. Tudo em nome da diversidade de jogadores em nossa seleção.

Protagonista de Final Fantasy X, Tidus é um habilidoso jogador de blitzball, um esporte fictício do universo do game que não é exatamente igual ao futebol, mas traz conceitos parecidos – só que embaixo d’água.

Por sua habilidade da modalidade e histórico familiar no esporte, julgamos o atleta digno de ser escalado para nossa seleção. Convocado.