Nesta sexta (20), após tanta espera, o novo God of War finalmente chegará ao PlayStation 4, agora levando o herói Kratos para os reinos e mundos da mitologia nórdica - Aliás, você já pode conferir nossa análise do jogo.

Mas, antes de partir para os Nove Reinos, o Fantasma de Esparta passou os últimos jogos retalhando o panteão da mitologia de grega, de deuses a titãs até todo tipo de criatura venerada ou temida na Antiguidade.

Por isso, separamos algumas das lutas mais incríveis já criadas para a série - pelo menos, por enquanto.

Hydra (God of War)

O primeiro God of War mostrou a que veio nesta grande sequência inicial, em que Kratos atravessa uma série de navios naufragados e destruídos para enfrentar a Hydra, atacando e mudando a estrutura da área da batalha até finalmente impalar a criatura no mastro de um barco.

Cronos (God of War III)

Fadado a carregar o Templo de Pandora (onde boa parte do primeiro God of War), Cronos é quase uma fase por si só, com Kratos tendo que navegar por diferentes partes de seu corpo, e enfrentando vários inimigos.

No fim, o Titã acaba tendo suas tripas cortadas por dentro após tentar devorar Kratos, e finalmente morto com a Espada do Olimpo fincada na testa.

Hércules (God of War III)

Um dos heróis gregos mais famosos de todos os tempos (mesmo com o nome romano), Hércules utiliza as diferentes armas e equipamentos que ganhou com seus 12 Trabalhos - e vários minions - para tentar derrotar Kratos.

No fim, tudo o que ele consegue é uma cabeça esmagada.

Como curiosidade, este Hércules é dublado por Kevin Sorbo, que deu vida ao herói no popular seriado dos anos 1990.

Poseidon (God of War III)

O Deus dos Mares traz a primeira grande luta épica de God of War III, como Poseidon enfrenta Kratos no topo de Gaia com sua carruagem de cavalos aquáticos, antes de voltar a sua forma humana e ser brutalmente espancado pelo espartano.

(Para piorar, o jogador vê esta morte brutal pelos próprios olhos de Poseidon)

Perseu (God of War II)

Outro grande herói da mitologia grega, Perseu utiliza diversos itens e equipamentos especiais ao enfrentar Kratos, de um elmo de invisibilidade até um escudo capaz de cegar o guerreiro temporariamente.

Curiosamente, esta versão de Perseu é dublado e seu visual inspirado pelo ator Harry Hamlin, que deu vida ao herói grego na versão original do filme Fúria de Titãs - que foi uma das principais bases para a criação da série God of War como um todo.

Rei Bárbaro (God of War II)

Derrotado em vida por Kratos após o espartano jurar lealdade a Ares, o fantasma do Rei Bárbaro tenta uma revanche contra seu inimigo, primeiro montado em um cavalo, depois chamando a ajuda de outros espíritos, e finalmente crescendo de tamanho.

... Não dá certo, e o Fantasma de Esparta ainda leva seu martelo como prêmio.

Teseu (God of War II)

Um dos grandes heróis da mitologia grega e fundador de Atenas, Teseu enfrenta Kratos durante sua jornada no Templo das Irmãs do Destino, enfrentando o espartano com uma lança de duas pontas, poderes de gelo, e até chamando minotauros para seu auxílio

(O que, se conhece a história de Teseu, é um tanto irônico)

Kratos, porém, leva a melhor, e Teseu acaba sendo recompensado com sua cabeça esmagada pela porta que defendia.

Alecto e Tisífone (God of War: Ascension)

Na batalha final de Ascension, as duas Fúrias enfrentam Kratos de diferentes formas, às vezes lutando ou manipulando a mente do espartano.

No fim, Alecto chega até a virar um monstro gigante cheio de tentáculos - não tão diferente do Kraken ou até Scylla - antes de ser finalmente morta pelo guerreiro.

Aegaegon e Megera (God of War: Ascension)

Usando o enorme corpo do Hecatonquiro Aegaegon - tão grande que serve como prisão -, a Fúria Megera utiliza uma série de parasitas gigantes para tentar derrotar Kratos, que destroem tanto os braços quanto a cabeça do ser mitológico.

Thanatos (God of War: Ghost of Sparta)

Grande vilão de Ghost of Sparta, Thanatos ganha destaque por ser a rara luta em que Kratos tem ajuda no combate final, cortesia de seu irmão, Deimos.

Scylla (God of War: Ghost of Sparta)

Praticamente uma versão do monstro de Cloverfield de God of War, Scylla é enfrentada por Kratos em diferentes fases, desde seus tentáculos - e “crias” - até o combate final em que o bicho é empalado por uma broca, cortesia de Kratos.

Zeus (God of War III)

A conclusão da trilogia acaba com uma revanche contra Zeus no coração de Gaia, culminando com o Deus do Olimpo sendo trucidado por Kratos ao ponto de a tela ficar totalmente vermelha de sangue.

Hades (God of War III)

Hades quer vingança pela morte de Perséfone, e para isso utiliza seus diversos ataques de correntes e mortos-vivos para derrotar Kratos, antes de ser morto e ter sua alma absorvida pelas próprias armas.

Lahkesis e Atropos (God of War II)

A batalha com as duas primeiras Irmãs do Destino é cheia de reviravoltas e momentos especiais - incluindo um retorno ao clímax do primeiro God of War -, culminando com as vilãs sendo presas por Kratos em um espelho.

 

Perséfone (God of War: Chains of Olympus)

Principal antagonista do primeiro jogo de PSP, Perséfone, junto do titã Atlas, tenta  (sem sucesso) derrotar o Fantasma de Esparta na batalha final, soltando desde bolas de energia até manipular Kratos para desistir de lutar.

 

Zeus (God of War II)

Deus maior da mitologia grega e chefe final de God of War II, Zeus também tem uma luta composta de vários momentos diferentes, começando de forma gigante e usando seus raios e a Espada de Olimpo para enfrentar seu filho.

Clotho (God of War II)

Parte chefe, parte quebra-cabeças, a última Irmã do Destino é uma monstruosidade de vários andares, forçando Kratos a utilizar várias partes da arena para seguir até o topo e finalmente derrotá-la.

Kraken (God of War II)

Para entrar no templo das Irmãs do Destino, Kratos deve primeiro enfrentar o Kraken (também inspirado em Fúria de Titãs), cortando seus tentáculos até finalmente ativar o mecanismo que ativa a ponte - matando-o de forma brutal no processo.

Ares (God of War)

Grande antagonista do game original, Ares tem uma batalha digna de um Deus da Guerra, cheia de fases e momentos diferentes - incluindo uma batalha entre Kratos e seus clones para proteger sua família -, culminando com um duelo de espadas entre os dois (em forma de gigantes) às margens de Atenas.

Colosso de Rodes (God of War II)

God of War II é repleto de chefes icônicos, mas talvez nenhum deles supere sua sequência inicial contra o Colosso de Rodes.

No mundo real, o Colosso foi destruído por um terremoto que afetou a região.

No mundo de God of War, a Maravilha do Mundo foi totalmente desmontada por Kratos - agora Deus da Guerra - após tomar vida e atacar os exércitos de Esparta, que invadiam a cidade.

… Infelizmente para o herói, ele teve de tirar toda sua energia divina para isso, e foi traído por Zeus logo depois.