Durante a E3 2018 pudemos experimentar durante uma hora Marvel's Spider-Man, o novo game do Homem-Aranha, além de entrevistar Jon Paquette, chefe de roteiro do jogo.

A demo incluiu algumas vizinhanças de Manhattan, onde o herói pode ser balançar livremente, com enorme velocidade. Ao pressionar e soltar o R2 o personagem se balança pelo espaço (mas apenas quando está abaixo na linha dos prédios). O X dispara uma teia frontal que funciona como um estilingue, lançando o Aranha adiante. O R2 também faz o aracnídeo grudar e correr pelas paredes.

A movimentação e o combate lembram Batman Arkham, mas visualmente o jogo não poderia ser mais diferente. Enquanto o Cavaleiro das Trevas é mais rígido e pesado, focado em suas decisões físicas, o Aranha é leve e frenético, fazendo piadas com frequência e interagindo com as pessoas na rua com "high-fives" empolgados.

Segundo o roteirista, essa essência juvenil foi resultado de muita pesquisa. "Nossas principais influências foram basicamente todas. Li inúmeras fases dos quadrinhos, mergulhei em muitas produções criadas com o herói, todos os filmes, todos os games, mas depois joguei tudo fora. O intuito era incorporar a alma de Peter Parker e do Homem-Aranha, mas a intenção sempre foi criar algo nosso, focado na experiência de mundo aberto", diz.

No game Peter tem 23 anos de idade, tem seus amigos, um trabalho, esperanças e sonhos. "Ele está combatendo o crime há 8 anos já - tem certa experiência. Usamos nossas próprias experiências e lembranças de quando tínhamos essa idade para ajudar a construi-lo. É algo que nunca vimos nos games. Nós teremos a família e amigos de Peter no jogo. Miles Morales, Tia May... queremos que as pessoas joguem também como Peter Parker. Que façam as escolhas difíceis que ele tem que fazer sempre... passar algum tempo com Mary Jane ou sair para combater um crime? Ainda não posso falar em detalhes sobre isso, mas teremos momentos como esse", promete.

Parte das escolhas que observei envolveram decidir que tipo de ação tomar durante uma patrulha. Você pode estar seguindo uma side quest quando surge um assalto ou perseguição policial, que podem ser resolvidas ou ignoradas.

Na demo é possível realizar algumas side quests e seguir três momentos de história. São duas arenas de encontros com hordas de bandidos da quadrilha do Senhor Negativo - que podem ser encarados de maneira furtiva ou no combate free flow inspirado em Assassin's Creed e o já mencionado Batman Arkham - e um chefe de fase, o Shocker, que é enfrentado dentro de um banco.

O Senhor Negativo, aliás, foi uma escolha interessante como um dos vilões principais. "Temos vários vilões, como você mesmo viu, mas optamos por colocá-lo no centro da ação justamente por não ter sido utilizado em nada ainda fora das HQs. Isso nos deu bastante liberdade. Ele tem poderes legais também e um visual que funciona muito bem nos games - foi uma ótima oportunidade de fazer algo único", diz Paquette.

O uniforme também é bastante diferente. "Foi muito difícil escolher uma versão final e recriar ele à nossa maneira. Mas saiba que a roupa tem um propósito que é relevante para a história. Há uma origem aí", explica o roteirista.

Há uma ansiedade palpável em Paquette, que parece sentir a responsabilidade de trabalhar com um dos maiores ícones dos quadrinhos. "Não podemos errar com um personagem tão importante para as pessoas. É quase religião para muita gente... espero que eles amem esse jogo. Colocamos nossas almas nisso e estamos fazendo o que for necessário para atingir a mágica que queremos com esse herói", comenta.

"Eu leio quadrinhos desde os oito anos de idade. Recebia a assinatura de Amazing Spider-Man, Spectacular Spider-Man e Thor. Eu ficava tão entusiasmado recebendo aqueles gibis... era especial. Conforme eu cresci e acabei virando um roteirista, sempre tive esse sonho de escrever Homem-Aranha - e o alcancei. Há um pouco dele em todos nós, pessoas que cresceram lendo essas HQs. É meio uma religião mesmo. Os caras da Marvel sabem o que estão fazendo. Eles nunca evitaram os assuntos difíceis, o drama, e isso sempre o tornou mais real. É muito intenso. Sempre foi - e nossa responsabilidade agora nos games é de fazer o que os quadrinhos faziam para a nossa geração: entregar essa mensagem. É intenso", conclui.

Marvel's Spider-Man sai em 7 de setembro exclusivamente para PlayStation 4.

E3 2018 acontece de 12 a 14 de junho, em Los Angeles, nos Estados Unidos, e as conferências pré-E3 já começam no dia 9. O The Enemy faz cobertura completa do evento, com transmissões ao vivo e impressões dos principais games, em texto e vídeo.

O The Enemy também integra o Game Critics Awards, júri que elege os principais games da feira.