Desde antes do início do beta aberto de VALORANT, o título fps da Riot Games já explodia nos canais de streaming, impulsionados por influenciadores e jogadores profissionais de outras modalidades, incluindo League of Legends, Rainbow Six e CS:GO.

Em fase beta, é claro que o hype tende a ser maior enquanto todos estão descobrindo as peculiaridades do jogo, a dinâmica de um fps com as habilidades especiais de cada agente, mapas básicos, mas cada um com uma peculiaridade, economia e balanceamento de armas e agentes. Agora, com o anúncio que o jogo será oficialmente lançado no dia 02 de junho, o barulho da comunidade voltou a crescer.

O mundo de VALORANT ainda é um prato cheio para a comunidade, e é claro, por ser um jogo da Riot Games, conhecida pelo sucesso profissional do League of Legends, muitos já ficam ansiosos para o cenário competitivo futuro do novo fps.

Procuramos algumas organizações brasileiras para entender seu posicionamento quanto ao futuro do VALORANT no ambiente competitivo. (NR: Ainda estamos no aguardo da resposta de Flamengo eSports, LOUD, DETONA Gaming, Redemption POA e Black Dragons)

paiN Gaming, posicionamento da organização

A paiN Gaming avalia como muito positiva a chegada do VALORANT ao mercado brasileiro de esports. Por ser um game da modalidade fps, mais leve e com nível de acessibilidade melhor, as chances de sucesso são muito grandes por aqui. Não tem porque não nos envolvermos com mais este grande projeto da Riot, que historicamente, tem se dedicado a desenvolver jogos de grande impacto. A paiN, como uma pioneira dos esports no Brasil, quer fazer parte deste momento e tem planos ambiciosos neste segmento.

FURIA Esports, por Jaime de Pádua (CEO)

A FURIA enxerga potencial no VALORANT e acredita que o jogo pode ocupar um espaço sim entre as grandes modalidades dos esports. 

Estamos estudando a possibilidade de criar uma equipe, porém vamos aguardar o momento ideal para isso. Sem dúvidas o fato da Riot Games ser a produtora do jogo faz toda a diferença para a FURIA querer estar na modalidade, vide o sucesso da nossa parceria com a publisher em outra modalidade (League of Legends).

RED Canids Kalunga, por João Paulo Garcia (Sócio)

Vemos potencial no Valorant por conta de como ele foi apresentado e tem envolvido comunidades de vários jogos e não só de FPS. Como vocês podem ver, o jogo conseguiu reunir jogadores de League of Legends, CS:GO, R6, PUBG, Card games, entre outros. 

Sim, pretendemos ter uma equipe! Sempre estamos de olho nas entradas em grandes jogos, e com VALORANT não seria diferente. A Riot com certeza é um diferencial, por conta de todo o case de sucesso em implementar o League of Legends, e com todo o buzz que o VALORANT está tendo, temos a certeza que a Riot irá fazer deste um grande esport também.

MIBR, por IGC (Immortals Gaming Club, empresa responsável pela MIBR)

Nós da IGC vemos muito potencial no VALORANT, tanto pela alta receptividade da comunidade, quando pela qualidade do jogo. No momento, nosso grupo está avaliando a possibilidade de termos a Immortals no jogo. 

O MIBR está focado em CS:GO e Rainbow 6, ainda precisamos entender melhor se também faz sentido termos um time competitivo de VALORANT. O fato da Riot ser a responsável é um grande motivador para todos, basta avaliar os resultados que obtiveram com o cenário de esports de League of Legends.

Vivo Keyd, por Wender Roberto (Head de Comunicação e Marketing)

Enxergamos sim um grande potencial no VALORANT, e entendemos que foi um jogo muito bem planejado e desenvolvido pela Riot, como era de se esperar. Os resultados do beta surpreenderam, atingindo mais jogadores do que esperado, chamando atenção até mesmo de outras modalidades. 

Está cedo para falarmos de equipe de VALORANT, mas sempre estamos de olho em novas oportunidades. Nos posicionaremos quando tivermos notícias de um cenário competitivo por parte da Riot Games, que é um grande diferencial quando falamos de desenvolvedoras, visto o sucesso de suas outras franquias.

INTZ, por Vinícius "Mortal" Romualdo (Gerente Geral)

Há muito tempo não víamos um jogo com o hype que o VALORANT teve antes do seu lançamento. Comunidades de diferentes jogos falando positivamente sobre o jogo mostra que o potencial existe, inclusive já sendo pensado desde o começo para uma presença no competitivo. 

Ainda é cedo pra pensar em fechar com um time, ainda mais por ainda não termos um calendário oficial, mas estamos olhando com bastante atenção. Trabalhamos com a Riot desde o ínicio do clube e a desenvolvedora é referência mundial em competições de esportes eletrônicos. São grandes parceiros no LoL e temos tudo pra sermos grandes parceiros no VALORANT também.

KaBuM! e-Sports, por Igor Corrêa (Head Administrativo)

Acreditamos que o VALORANT tem bastante potencial. O jogo aproveita alguns espaços de outros games de FPS - roda em quase qualquer computador, mistura magias e armas para fazer uma gameplay diferente de CS:GO, por exemplo. A Riot também está investindo muito em segurança, para garantir que não haverá “cheaters” no game, e ainda conta com uma jogabilidade relativamente fácil e atrativa para iniciantes, o que influencia diretamente a adesão da comunidade. 

No momento, estamos estudando o jogo e acompanhando a comunidade. É cedo para qualquer decisão, estamos analisando como será o cenário competitivo e quando ele terá início no Brasil. A Riot Games é uma grande parceira da nossa organização e acreditamos muito nos produtos e planejamento sólido que eles trazem para o mercado. 

W7M Gaming, por Felipe Funari (Diretor de Esports)

Vemos potencial em todos os lançamentos e jogos que estão em evidência. Mas nós, como organização, temos que aguardar o competitivo se desenvolver e se tornar um ambiente seguro para investir em atletas, contratos e influenciadores. A princípio, teremos geração de conteúdo dentro dos assets atuais da W7M. E claro, a Riot ser a desenvolvedora é um diferencial, por ser uma empresa conceituada e com um trabalho magnífico feito no League of Legends.

Imperial e-Sports, por Felippe Martins (CEO)

Vemos muito potencial no VALORANT. O jogo por si só tem uma idéia muito boa e com uma jogabilidade melhor ainda. Ainda tem algumas coisas a serem melhoradas, mas acreditamos que nas mãos da Riot Games, serão problemas solucionados rapidamente. É uma desenvolvedora que ouve a comunidade e sabe como produzir um cenário competitivo e eventos, e isso é crucial.
 
Sem dúvidas alguma temos interesse em eventualmente entrar no competitivo. Estamos estudando o mercado desde que o beta foi anunciado no NA e estamos nos movimentando para quando tivermos noticias do competitivo, podermos fazer parte.

Prodigy Esports, por Marina Leite (CEO)

O jogo tem um potencial imenso, e sabemos que em breve deve existir um cenário competitivo dele. Tem tudo para ser relevante no Brasil e internacionalmente. Sabemos da seriedade e profissionalismo da Riot nas decisões de seus títulos, então eles serem os desenvolvedores encoraja a perseguimos uma ação no futuro. Com certeza teremos uma equipe de VALORANT.

Santos HotForex e-Sports, por Marcus Oliveira (Gerente de Operações)

Mesmo em seu período beta, acreditamos que o jogo já provou seu valor. Unindo públicos antes distintos em um novo jogo e atraindo a atenção de muitos outros que antes não se sentiam atraídos por um fps. Por ser da Riot Games e levando em conta o grande apoio que ela fornece para o desenvolvimento do cenário competitivo de seus jogos, acreditamos muito que o VALORANT será um grande sucesso nos esports.
 
Estamos atentos ao surgimento desse novo cenário e torcendo pelo seu amadurecimento. E pretendemos que o Santos tenha uma line-up representando a equipe nessa modalidade.
 

O VALORANT é um jogo com grande potencial, unindo o tradicional FPS com as diferentes skills de cada personagem se torna um jogo do qual extremamente competitivo com muitas possibilidades de meta do jogo, tornando assim um jogo do qual o cenário competitivo terá uma grande adesão de jogadores e público.

Com certeza estamos pensando numa line no futuro, no momento já estamos estudando o jogo em si para saber quais players melhor se adequam pra ele. A Riot  leva a sério a questão de profissionalismo com o cenário competitivo, sempre com os torneios sendo bem organizados e de alta qualidade, e é uma publisher que costuma ajudar as equipes no que é possivel, acaba com certeza atraindo as organizações e players.

Havan Liberty, por Samuel Walendowsky (CEO)

A Havan Liberty enxerga um grande potencial no VALORANT, uma vez que o jogo já mostrou um ambiente excelente para os esports e a Riot tem total capacidade para trabalhar isso de forma eficiente, com conhecimento da área e credibilidade no cenário.

Com certeza queremos ter um time! Já estamos estudando as possibilidades e formatos para investir no VALORANT e ingressar no cenário, assim como fizemos com o TeamFight Tactics e com as modalidades de FIFA 20.