A estratégia da Microsoft de produzir jogos para o Xbox Series X que também funcionem no Xbox One não está prejudicando o potencial dos títulos de próxima geração, avaliou Phil Spencer.

Líder da divisão Xbox na Microsoft, Spencer falou sobre o tema em entrevista ao Games Industry, afirmando a ideia que que jogos de próxima geração estariam sendo prejudicados por conta de sua produção focada também para a atual geração é apenas algo repetido por pessoas que se envolvem em "competição de dispositivos" e que não faria sentido na prática.

Para exemplificar seu ponto, Spencer comparou a situação atual ao ecossistema de jogos de PC – que também funciona com uma grande diversidade de diferentes hardwares.

"Eu olho para o Windows. É quase certo que, se o desenvolvedor estiver criando uma versão para Windows de um jogo, a versão mais poderosa e com maior fidelidade é a versão para PC", afirmou. "Você pode até ver que com alguns de nossos jogos first-party de console que estão indo para o PC, mesmo os de nossos concorrentes, que a versão mais rica é a versão para PC. No entanto, o ecossistema de PCs é o mais diversificado quando se trata de hardware, quando você pensa nas CPUs e GPUs de anos atrás".

Sim, todo desenvolvedor encontrará um parâmetro e decidirá 'este é o hardware que eu irei suportar', mas a diversidade de opções de hardware no PC não prejudicou os jogos de PC de maior fidelidade no mercado. Os jogos de PC de maior fidelidade rivalizam qualquer coisa que alguém já viu em consoles", explicou. "Portanto, essa ideia de que os desenvolvedores não sabem como criar jogos, mecanismos de jogos ou ecossistemas que funcionam com um conjunto hardwares diferentes... o PC que mostra que não é esse o caso".

A Microsoft já indicou anteriormente que jogadores não devem esperar jogos exclusivamente voltados para a próxima geração de consoles da empresa até pelo menos um ano após o lançamento do Xbox Series X.

A decisão, segundo Spencer, tem a ver com a ideia de "não excluir as pessoas de poderem jogar", e que a empresa está focada em oferecer alternativas para jogadores acessarem títulos do Xbox de diferentes formas.

"Devemos aplaudir os tempos de carregamento e a fidelidade das cenas, a taxa de quadros e a latência de entrada, e todas essas coisas nas quais focamos na próxima geração. Mas isso não deve excluir as pessoas de poderem jogar. Esse é o nosso ponto. Como criamos um ecossistema em que, se você deseja jogar um jogo Xbox, vamos dar um jeito de jogar?", pontuou.