Ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça afirmou na tarde desta terça-feira (02) que a Polícia Federal investigará o vazamento de informações pessoais do presidente Jair Bolsonaro, de familiares e outras autoridades por hackers.

Em uma postagem no Twitter, Mendonça afirma que determinou a abertura de inquérito para investigação dos vazamentos, que devem apurar "crimes previstos no Código Penal, na Lei de Segurança Nacional e na Lei das Organizações Criminosas".

Também através do Twitter, Bolsonaro classificou a ação do grupo hacker como uma "medida de intimidação" e reforçou a que o vazamento será investigado. "Medidas legais estão em andamento, para que tais crimes, não passam impunes", escreveu.

Informações sobre Bolsonaro, dos filhos Flávio e Carlos Bolsonaro, de Abraham Weintraub, ministro da Educação, Damares Alves, ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, e do deputado estadual Douglas Garcia foram vazadas na noite desta segunda-feira (01) e publicadas em um repositório online e através de uma conta no Twitter – que já foi suspensa.

As informações vazadas incluíam números de cartões de crédito, documentos, emails, endereços e telefones. O vazamento foi atribuído ao grupo Anonymous Brasil, que negou relação com o perfil que fez as publicações.