Como forma de manter uma estabilidade maior das redes de internet pelo Brasil, cujo tráfego aumentou significativamente devido à quarentena do coronavírus COVID-19, empresas como a Netflix, YouTube e Facebook anunciaram que irão reduzir a qualidade de seus vídeos no países e na América Latina como um todo.

Em um comunicado, a Netflix declara que irá implementar um sistema semelhante ao que usou em países europeus durante a pandemia, com objetivo de reduzir em 25% o tráfego da empresa em provedores locais. Ele reforça, porém, que isso não acarreta uma diminuição na qualidade de imagem do usuário.

"Resumindo, a ação que tomamos mantém toda a gama de resoluções de vídeo", diz a mensagem. "Portanto, se você pagou por ultra-alta definição (UHD), alta definição (HD) ou definição padrão (SD), é isso que você vai continuar recebendo (de acordo com o aparelho que estiver usando)."

"Alguns provedores em regiões como a América Latina querem que reduzamos nossa largura de banda o mais rápido possível. Outros querem continuar como de costume. Isso é compreensível, pois diferentes provedores ao redor do mundo montaram suas redes de maneiras diferentes e operam em condições diversas", continua a mensagem. "Felizmente, temos muita experiência em oferecer a Netflix de forma eficiente por meio do nosso programa Open Connect – e usando outras tecnologias em que fomos pioneiros – e podemos responder a esses diferentes cenários rapidamente."

Outra companhia que diminuirá a qualidade do vídeo não só no Brasil como no mundo é o YouTube, que passará a exibir prioritariamente vídeos na definição padrão para reduzir a carga das conexões de internet.

A medida, diz a empresa, tem como objetivo "minimizar o estresse no sistema durante essa situação sem precedentes." (via CNN).

Procurada pelo The Enemy, o Facebook também declarou que implementará uma redução na qualidade dos vídeos de suas plataformas no Brasil e América Latina.

"Para ajudar a aliviar as redes neste período de alta demanda devido à pandemia de COVID-19, vamos reduzir temporariamente a resolução em bits dos vídeos no Facebook e Instagram na América Latina", diz a declaração de um porta-voz da empresa. "Queremos garantir que as pessoas possam permanecer conectadas usando os aplicativos e os serviços do Facebook, e continuaremos trabalhando com nossos parceiros para administrar qualquer limitação de transmissão de dados."

Por outro lado, quanto aos serviços da Amazon, a assessoria da Twitch declarou que, pelo menos por enquanto, não há planos de reduzir a qualidade de vídeo no Brasil, como foi o caso na Europa. Até a publicação desta nota, a assessoria da Prime Video não declarou se isso também será o caso deste serviço.