Recentemente, a Anatel revelou que as linhas móveis pós-pagas cresceram no Brasil, passando a representar 44.89% do mercado e aumento de 6 pontos percentuais de participação em 12 meses.

Isso porque as linhas pós-pagas também aumentaram em 12,44% no país (11,37 milhões de unidades, mais especificamente). O total de linhas em operação no mês de abril de 2019 é de 102,85 milhões.

As linhas pré-pagas, em compensação, apresentaram queda de 12,79% - 18,44 milhões de unidades - totalizando 125,78 milhões em operação também no mês de abril.

Somadas, as contas pós e pré-pagas totalizam 228,63 milhões de linhas móveis em operação até o final de abril de 2019. Em comparação com o mesmo período do ano passado, houve uma queda de 3% (ou 7,07 milhões) no total de linhas nos últimos 12 meses.

As "PPPs" também cresceram

As Prestadoras de Pequeno Porte (PPPs) também apresentaram crescimento de 11,59% em 12 meses com 610,85 mil linhas móveis em operação - ainda que os números tenham caído no mês de abril em 5,59% (348,31 assinaturas).

Vale lembrar que 58% das assinaturas de PPPs no Brasil são da Nextel que, por sua vez, cresceu 15,71% em 12 meses (467,43 mil assinantes).

Outra PPP, a Datora, alcançou 429,19 mil assinantes em abril deste ano (crescimento de 84,38%, ou 196,41 mil assinantes); e a Porto Seguro teve uma queda de 45,04% (286,08 mil), fechando o período com 349,06 mil assinantes.

Vivo na liderança do mercado

A Anatel também divulgou que os grupos maiores de telefonia móvel representam 97,42% do mercado (222,75 milhões de linhas em operação).

Quem lidera a maior quantidade de assinaturas é a Vivo com 73,58 milhões de unidades, seguida da Claro com 56,37 milhões. A TIM está em terceiro com 55,20 milhões e a Oi em quarto com 37,58 milhões.

Segundo os dados, todas apresentaram queda de assinantes nos últimos 12 meses: TIM decaiu 4,06% (2,33 milhões de linhas móveis em operação), Claro teve -4,43% (2,61 milhões), a Oi com 3,20% (1,24 milhão) e Vivo menos 1,98% (1,48 milhão).