Paul Allen, cofundador da Microsoft ao lado de Bill Gates, faleceu nesta segunda (15) em Seattle, vítima de um linfoma de Hodgkin com que lutava há décadas.

A informação foi divulgada pela Vulcan Inc., outra empresa fundada por Allen, em nome de sua família.

"Enquanto a maioria conheceu Paul Allen como um tecnologista e filantropo, para nós ele era um irmão e tio muito amado, e um amigo excepcional. A família e amigos de Paul foram abençoados ao experienciar sua sagacidade, empatia, generosidade e preocupação profundas", declarou sua irmã, Jodi, em um comunicado. "Neste momento de perda e luto para nós - e tantos outros - somos profundamente gratos pelo carinho e preocupação que ele demonstrou todos os dias."

Nascido em 1953 em Seattle, Washington, Paul Allen fundou a Microsoft junto com seu amigo de infância, Bill Gates, em 1975, após os dois abandonarem seus estudos na universidade de Harvard.

Na década de 1980, Allen deixou de trabalhar nas operações da Microsoft, mas manteve suas ações na empresa, o que o levou a tornar-se um bilionário quando a empresa tornou-se pública. Desde então, o executivo se envolveu em diversos outros projetos, desde empresas como a Vulcan e filantropia até aquisição de times de esportes, tendo sido dono do time de futebol americano Seattle Seahawks, o time de basquete Portland Trail Blazers, e de parte da equipe de futebol Seattle Sounders.

Com fortunada estimada em US$ 20 bilhões, Allen era considerado o 46º. homem mais rico do mundo.

Allen havia revelado no início do mês em seu site oficial que o câncer, diagnosticado originalmente nos anos 1980 e tratado pela última vez em 2009, havia retornado. Na época, o executivo escreveu que sua "equipe de médicos começou o tratamento da doença e eu planejo lutar contra ele agressivamente."

Satya Nadella, atual CEO da Microsoft, fez um pronunciamento oficial lamentando o falecimento do cofundador da empresa.

"As contribuições de Paul Allen para nossa companhia, nossa indústria e nossa comunidade são indispensáveis. Como cofundador da Microsoft, de seu próprio jeito quieto e persistente, ele criou produtos, experiências e instituições mágicas, e ao fazer isso, mudou o mundo", declarou. "Eu aprendi muito com ele - sua inquisitividade, curiosidade e incentivo por padrão de excelência é algo que vai continuar a me inspirar e a todos na Microsoft. Nossos corações estão com a família e queridos de Paul. Descanse em paz."