Após quase uma semana de conferências, apresentações, demos e anúncios de novos games, a E3 2018 chega oficialmente ao fim nesta quinta-feira (14) em Los Angeles, na Califórnia.

Aos costumes, o evento teve seus altos e baixos, com empresas que claramente trouxeram novidades mais empolgantes para o público e outras que não brilharam com tanta força.

Para passar a régua nessa enxurrada de conteúdos, listamos as empresas que saem por cima e por baixo dessa E3 2018 – na avaliação da nossa equipe, é claro.

Concorda ou descorda de alguns dos nomes? Deixe seu comentário aqui embaixo!

Vencedora: Microsoft

A Microsoft prometeu a maior presença da sua história na E3 2018 e entregou. 

Com uma conferência recheada de anúncios, a empresa trouxe ótimas notícias para quem aposta no ecossistema do Xbox, com novos games como Halo Infinite e Gears of War 5

A companhia também deu sinais que está investindo pesado em futuros exclusivos para a plataforma, adicionando cinco novos nomes aos Microsoft Studios, até mostrou sua reaproximação com desenvolvedoras japonesas  – dando espaço para os anúncios de Jump Force e Sekiro

O Xbox definitivamente tem um futuro promissor.

Divulgação/Microsoft

Vencedora: Bethesda

Títulos como Doom: Eternal, Wolfenstein: Youngblood e até o antecipado Fallout 76 só aquecem os motores da Bethesda durante sua apresentação. 

O melhor, a empresa guardou para o final: Starfield, primeira nova franquia da Bethesda em 25 anos, e The Elder Scrolls VI, sucessor de Skyrim, um dos mais aclamados RPGs da história. 

É verdade que os dois títulos foram anunciados com nada mais do que teasers, mas definitivamente colocaram o trem do hype da Bethesda em velocidade máxima para a próxima geração.

Resta agora saber como a empresa pretende manter esse ritmo no ano que vem.

Reprodução/Bethesda

Vencedora: Capcom

Em uma E3 2018 bastante democrática, a Capcom distribuiu seus principais anúncios entre duas conferências, em, surpreendentemente, conseguiu empolgar com ambos. 

No meio do mar de jogos apresentados pela Microsoft e Sony, a Capcom conseguiu roubar a atenção, respectivamente, com Devil May Cry 5 e Resident Evil 2

E o melhor de tudo: ambos têm lançamento previsto para o primeiro semestre do ano que vem – sendo que Resident Evil 2 já tem até data marcada para janeiro e estava jogável na E3 (você pode ver nossas primeiras impressões aqui).

Divulgação/Capcom

Vencedora: CD Projekt RED

Produtora da série The Witcher, a CD Projekt RED lançou o primeiro trailer de Cyberpunk 2077 em cinco anos e deixou jogadores de todos os tipos em êxtase de antecipação para explorar Night City e seu ambiente imersivo. 

A portas fechadas, o estúdio já começou a mostrar os primeiros minutos de jogabilidade do título para a imprensa – que tem recebido o game com elogios. 

Você também poder ler nossas primeiras impressões aqui para entender porque ele promete ser um dos maiores RPGs desta geração.

Divulgação/CD Projekt RED

Perdedora: Nintendo

Nós sabíamos que a Nintendo iria focar boa parte de seu Direct no novo Super Smash Bros. Ultimate, só não imaginávamos que isso envolveria 25 minutos de explicação sobre detalhes de cada um dos mais de 60 personagens do jogo. 

Nem Metroid Prime 4, nem Bayonetta 3, nem algo sobre o RPG Pokémon que chega ano que vem? Nada. 

O que salva é o fato de que a Nintendo funciona de um jeito bem diferente de outras empresas, e que provavelmente fará novos anúncios através de outros Directs até o fim do ano.

Mas de sua participação na E3, especificamente, não saímos empolgados.

Divulgação/Nintendo

Perdedora: Square Enix

Definitivamente, o prêmio de conferência desnecessária da E3 2018. Organizando sua primeira conferência em três anos, a Square Enix tinha tudo para impressionar o público com novidades sobre Final Fantasy VII Remake ou sobre os Vingadores desenvolvido pela Crystal Dynamics. Mas nada disso apareceu. 

Ficamos com um morno anúncio de dois novos jogos (The Quiet Man e Babylon's Fall, da PlatinumGames) e com mais trailers de Shadow of Tomb Raider, Just Cause 4 e Kingdom Hearts III – que são bastante antecipados, mas não precisavam estrelar uma conferência própria.

Divulgação/Square Enix

Perdedor: Star Wars

Nós já falamos aqui no The Enemy sobre como a Electronic Arts não está aproveitando seu período de licença de dez anos para a produção de jogos da saga Star Wars – que, aliás, já teve um saldo decepcionante nos cinco primeiros anos

Nada disso mudou após a EA Play desta E3, em que a empresa parece continuar com medo de mostrar conteúdos da franquia

Tudo que fãs de Star Wars tiveram foi o nome do novo jogo da Respawn Entertainment, Jedi Fallen Order, a promessa de que ele chega até o final do ano que vem. Nada de imagens ou trailers. Nesse fronte, a EA sai de mais uma E3 devendo.

Reprodução/EA