Nesta semana, a Square Enix divulgou seu relatório do terceiro trimestre do ano fiscal de 2019, que termina em 31 de março.

De acordo com o documento, a publisher não teve um grande desempenho durante o ano, graças em parte ao número de vendas abaixo do esperado para jogos como Just Cause 4 e principalmente Shadow of the Tomb Raider.

O mais curioso, porém, é que durante a sessão de perguntas e respostas com investidores, o presidente Yosuke Matsuda deu a entender que o próximo ano fiscal da empresa - que acontece entre abril de 2019 e março de 2020 - trará um arrecadação operacional de 40 a 50 bilhões de ienes (cerca de R$ 1,34 a R$ 1,67 bilhão).

"Acreditamos que o rendimento de 40 a 50 bilhões de ienes será possível para o FY2020/3 [período dos 9 primeiros meses no ano fiscal, entre abril e dezembro] com o catálogo que temos planejado, mas ainda vemos riscos de desvios do nosso alvo dependendo de quando lançarmos novos títulos e como nossos esforços de desenvolvimento progredirem."

Matsuda também disse que não pode dar detalhes sobre este catálogo, mas acredita que a publisher fará "vários anúncios às vésperas da E3 deste ano".

Sendo assim, é provável que a Square Enix tenha uma série de jogos significativos para revelar nos próximos meses. Por enquanto, além de Left Alive e as remasterizações de Final Fantasy VII, IX, X, X-2 e XII para Nintendo Switch e Xbox One, o único título previsto para 2019 e ainda sem data é Babylon's Fall, da Platinum Games (de NieR: Automata).

Isso indica que há (pelo menos) um outro grande lançamento da publisher para este ano fiscal, com os grandes candidatos sendo The Avengers Project, jogo dos Vingadores da Crystal Dynamics, ou até mesmo o tão aguardado Final Fantasy VII Remake.

De qualquer forma, o público só deve saber mais sobre os planos da Square Enix próximo da E3 2019, que acontece entre 11 e 13 de junhos em Los Angeles, nos EUA.