O comitê do Senado australiano de Ambiente e Referências de Comunicação publicou seu relatório final analisando as loot boxes. O documento afirma que o assunto deve ser tema de pesquisa de uma série de outras instituições, para que sua possível relação com os jogos de azar seja examinada a fundo.

Jordon Steele-John, senador do país, se mostrou bastante insatisfeito com a análise: "Muitas loot boxes utilizam um número de mecânismos psicológicos que podem ser encontrados em outras formas de jogos de azar, incluindo o reforço de taxas variáveis, aliciamento e disponibilidade constante", disse em anúncio oficial.

Indignado, o senador reclama que o documento não analisou o aspecto dos jogos de azar, mesmo que, em sua opinião, hajam "evidências enormes" de que ambos utilizam mecanismos parecidos.

"Esse inquérito era uma oportunidade de proteger pessoas jovens do mal. Essa oportunidade agora foi perdida por que o Partido do Trabalho e o governo de coalizão estão nos bolsos da indústria de máquinas de pôquer, e estão dispostos a colocar suas doações acima da segurança dos jovens". É importante ressaltar que a Austrália é um dos líderes mundiais no número de máquinas de pôquer.

O documento, por outro lado, tenta esclarecer que as loot boxes não são homogêneas: "Há uma variedade de loot boxes que podem ser adquiridas por meio de conquistas dentro do jogo e com dinheiro da vida real. As caixas também podem ser diferentes caso os itens virtuais possam ser monetizados".

As loot boxes vêm sendo questionadas por todo o mundo. Na Bélgica, jogos como Overwatch e Counter Strike: Global Offensive baniram o recurso de seus servidores locais.