Com o mercado dominado pela 2K, a EA sempre ficou em segundo plano quando o assunto são os games de basquete. Investindo muito em aspectos de customização, NBA Live 19 chega para brigar de igual para igual com o concorrente.

Desde o início, o jogo deixa claro que você terá uma alta gama de possibilidades de personalização: pela primeira vez, é possível escolher entre um avatar masculino ou feminino.

Depois, o game recomenda que você baixe o seu aplicativo Companion, para poder escanear seu rosto e criar um personagem fidedigno. Infelizmente, não consegui usar o recurso, e encontrei uma boa quantidade de pessoas passando pelo mesmo problema.

Isso me levou à segunda decepção com o game: apesar da quantidade de roupas e acessórios ser imensa, o rosto do avatar não possui um grande número de opções, deixando-o levemente genérico.

Para um sneakerhead (quase) assumido, entretanto, as opções de tênis são um prato cheio. Modelos atualizados e extremamente fiéis à realidade dão um ar especial ao game, algo importantíssimo em um esporte onde os calçados fazem parte da atmosfera.

Passadas as etapas de customização, fica claro que o modo The One é o foco do NBA Live 19. Com imenso destaque no menu inicial, The One não decepciona: misturando vídeos em live-action com alguns dos melhores momentos de seu personagem, o game cria um ambiente muito similar ao que FIFA faz em alguns de seus trailers. Pode até parecer forçado, mas é um bom sinal de que a franquia está seguindo na direção certa.

Dentro de quadra, o posicionamento da câmera incomoda um pouco, causando algumas confusões em trocas rápidas de posse de bola, mas nada que atrapalhe muito o gameplay. É extremamente divertido aprender todas as (muitas) possibilidades de se levar a bola à cesta enquanto seu personagem evolui.

Outro ponto positivo está na construção dos times: por mais que não seja algo totalmente declarado, o game incentiva bastante a inclusão de jogadoras femininas em seu elenco de The One. Muitas vezes, as garotas possuem um dos maiores ratings em sua equipe, ajudando bastante durante os jogos. Os times mistos criam uma sensação única, e apesar da teórica disparidade física, as meninas mandam muito bem frente aos homens.

Com o The One, NBA Live 19 abre um leque de possibilidades: as Court Battles, onde você pode “dominar” as quadras de alguns adversários, são um atrativo à parte. Nesse modo, é possível visitar a casa de alguns times pré-selecionados, jogando em regras customizadas por eles mesmos - não se assuste se uma enterrada valer três pontos, ou se um toco também contar no placar.

Em modos mais tradicionais, usando as famosas franquias da NBA, o jogo mantém sua qualidade, mas deixa alguns problemas mais evidentes.

Quem acompanha a liga sabe que, por exemplo, é inaceitável que Ben Simmons, marcado, acerte uma cesta de três com facilidade. Os momentos “apelões” do game ficam muito claros quando os jogadores do mais alto nível estão em quadra - é fácil trocar uma jogada bem desenhada por uma bola forçada no pivô, que quase sempre funciona.

Outro defeito que fica mais evidente é a qualidade das animações e da física do jogo. Por vezes, um arremesso no fundo da quadra pode desafiar a lei da gravidade, com o atleta praticamente flutuando. Em outros momentos, um passe sai tão veloz que parece se teletransportar para a mão de seu companheiro de time.

Ainda assim, NBA Live 19 é uma boa forma de se divertir em qualquer um de seus modos. O jogo possui suas falhas, como alguns bugs de animação e gráficos que ora impressionam, ora decepcionam. No geral, entretanto, o game é uma ótima opção para os amantes do esporte, mostrando que ainda está vivo na luta contra a 2K.

NBA Live 19 está disponível para PlayStation 4 e Xbox One. O jogo foi testado em um PlayStation 4 normal. Clique no nome das plataformas para conferir o preço em sua versão digital.

Nota do crítico