Mesmo com a estreia nessa semana do Flamengo no Circuito Desafiante de League of Legends, o caso da contratação de Felipe "brTT" Gonçalves em dezembro ganhou capítulo na Justiça nessa quinta-feira (22). De acordo com as informações apuradas pela reportagem do SporTV, a RED Canids Corinthians entrou com uma ação no TJ-SP pedindo R$ 50 mil por danos morais pelo acordo não cumprido pela Cursor eSports, empresa que gerencia a área de games do Rubro-Negro.

A situação, como explica o site, é que o Flamengo entrou em contato com a RED Canids para negociar a saída de brTT pelo valor de R$ 50 mil, um valor inferior aos R$ 150 mil de multa rescisória pelo jogador. O preço foi aceito pela Matilha na ocasião.

No entanto, ao saber que o contrato de brTT acabaria dentro de alguns dias, a Cursor eSports encerrou os contatos. No dia 7 de dezembro, a organização anunciou que o jogador seria um dos integrantes do Flamengo no League of Legends — uma negociação feita diretamente com o jogador sem contrato ativo, embora a RED Canids tenha alegado que o primeiro contato tenha acontecido quando ele ainda estava na equipe.

O jogador, como explica o SporTV, também é colocado como um dos réus do processo por "atuar em conluio com a Cursor eSports e o Flamengo". A Riot Games, que organiza o Campeonato Brasileiro de League of Legends, não se pronunciou sobre o caso embora a reportagem cite que o estúdio recebeu uma denúncia de toda a situação.

O Flamengo teve sua estreia no Circuito Desafiante, a "série B" do CBLoL, com uma vitória por duas partidas a zero contra a Ilha da Macacada Gaming. O próximo jogo acontece no dia 27 de fevereiro contra a T Show.