A ascensão dos grandes torneios de League of Legends e Counter-Strike: Global Offensive é cada vez mais empolgante para os gamers, mas o próprio Comite Olímpico Internacional ainda vê alguns problemas para integrar os jogos eletrônicos como uma prática esportiva. Em uma rápida entrevista para o site insidethegames, o presidente do COI, Thomas Bach, disse que não está 100% certo se os eSports são realmente esportes.

Ele citou que, além da falta de práticas físicas nos games, há outro ponto importante que precisa ser levado em consideração. "Nós não vemos uma organização ou uma estrutura que nos dê confiança ou garantia que as regras e valores olímpicos serão respeitados e estejam em ordem", revelou Bach.

"Não há uma federação internacional que tenha a autoridade necessária para dar essa garantia e restringir essas atividades aos valores do esporte", completou. Ele inclusive ressaltou que, pessoalmente, acha que alguns games são até contrários aos valores prezados pelo Comitê.

A situação foi levantada novamente depois que o Conselho Olímpico da Ásia (OCA) anunciou há alguns dias que FIFA 17 e títulos do gênero MOBA integrarão os Jogos Asiáticos de 2022.

Apesar do impasse, o representante mostrou que estão atentos ao crescimento do ramo. "Nós estamos observando, nós vemos as diferenças, a falta de organização, mas também vemos o grande engajamento dos jovens nos eSports. Assim sendo, temos que considerar com cuidado como isso pode ser consolidado", finalizou.