Marcelo "coldzera" David, astro do Counter-Strike: Global Offensive nacional e membro da MIBR, foi colocado no banco de reservas da organização. De acordo com nota oficial publicada pelo manager Ricardo "dead" Sinigaglia, o jogador não participará dos próximos torneios com a MIBR, e seu substituto temporário será Wilton "zews" Prado, técnico da equipe.

O manager agradeceu a passagem de coldzera pelo time, e afirma que a tônica para o futuro será de pensar sempre na equipe como um todo: "Chegamos à conclusão que a fase que iremos viver será de reconstrução para o futuro, e que quanto antes começarmos será melhor".

Com pouca experiência como jogador profissional, zews atuará na BLAST Pro Series de Los Angeles, que acontece entre os dias 13 e 14 de julho, e em todos os torneios subsequentes até que um quinto player seja oficializado. Para o Starladder Berlin Major, campeonato mais importante do semestre, sua participação ainda não está confirmada.

Segundo o Mais Esports, uma situação como a de coldzera não se enquadraria como um caso de emergência, onde o regulamento do Major permitiria que o técnico substitua um membro do elenco. A Starladder não se pronunciou especificamente sobre o caso da MIBR, mas, com as inscrições fechadas, é possível que a vaga da equipe seja comprometida de alguma maneira.

O futuro de coldzera ainda é incerto. O jogador teria pedido para ser negociado ou colocado na reserva depois da decepcionante performance no ESL One Cologne, onde a MIBR foi eliminada sem nenhuma vitória. Algumas especulações ligam o jogador à FaZe, equipe de jogadores europeus, mas nada está confirmado até o momento.

[Atualização - 15h35 - 12/07]

Em nota publicada na tarde desta sexta, coldzera afirmou que a decisão de deixar o time foi inteiramente dele e que já pensava sobre o tema há ao menos um ano.

"Em 2018 eu queria sair do time, mas fiquei por acreditar que conseguiríamos melhorar, mas as derrotas, brigas, problemas, foram me desgastando de um jeito absurdo", escreveu o atleta. "Hoje, vocês não me veem mais gritando, comemorando, me envolvendo, e não é porque não quero, mas porque parece que eu entro no jogo sempre com um sentimento de desgaste".

Ainda segundo o jogador, seu próximo passo será uma viagem para a Europa, onde fará um treinamento individual e analisará propostas.

"Uma transferência igual a minha deve demorar uns meses porque, infelizmente, meu buyout é alto, mas não vou deixar de me preparar. Quero entrar quente assim que arranjar uma nova casa!", escreveu.

[Fim da atualização]